Fim dos privilégios da classe política

Não há que ter ilusões. Privilégios são direitos, vantagens, prerrogativas, “válidos apenas para um indivíduo ou um grupo, em detrimento da maioria”(dicionário Houaiss).Logo, a existência de um grupo detentor de privilégios, o que sucede com a classe política, constitui uma violação inequívoca do mais elementar princípio que deve reger qualquer sociedade democrática: a igualdade de direitos entre todos os cidadãos. Neste sentido, não há justificação possível para que um político possua um regime de excepção face à restante população.

Em nome do princípio da paridade entre todos cidadãos, o movimento Indignados Lisboa considera fundamentais as seguintes medidas:

1. Abolição do sistema de reformas privativo dos titulares de cargos políticos, de forma a que os anos de exercício de cargos políticos contem exclusivamente para a reforma a que os políticos tenham originariamente direito, em virtude da sua vida profissional. Como é do mais elementar bom senso, os políticos não podem ter uma reforma mais cedo do que o comum dos portugueses, artificialmente maior do que a que receberiam se não fossem políticos.

2. Revogação pura e simples do subsídio de reintegração, pois os políticos não podem usufruir de uma reforma dupla por terem desempenhado um cargo político. O prejuízo profissional, cuja reparação é suposto este subsídio compensar, nunca existiu como é, aliás, do conhecimento público.

3. Extinção das benesses tradicionais, como as despesas de representação e as regalias modernas, que incluem o telemóvel e o automóvel de luxo. Se tal é possível em sociedades democráticas como a sueca, não existe razão para que o mesmo não suceda no nosso país.

4. Extinção da imunidade parlamentar em todo o território nacional. Desta forma, é colocado um ponto final no tratamento privilegiado dos políticos perante a lei em qualquer situação de delito, ficando os mesmos em igualdade de circunstâncias com os restantes cidadãos.

Nuno Costa

Indignados de Lisboa

Anúncios

5 respostas a Fim dos privilégios da classe política

  1. António Santos diz:

    Penso que tem toda a razão. A Indignação é um direito que assiste ao ser Humano. E neste momento é a Hora de tudo mudar onde a Democracia é invocada e menos praticada, porque em latim “democracia” significa: Domínio do Povo
    E o que se tem passado em Portugal nos últimos 37 anos é, os que se dizem representantes da população que os elegeu, serem depois aquilo que o partido a que pertencem querem que sejam. Meus senhores a censura existe e à que pôr fim à ditadura democrática que se vive desde o após 25-4-1974. Bem hajam e podem contar comigo, eu sózinho não mudo o Mundo, mas se forem pessoas que não virem as costas uns aos outros, então muita situação pode ser mais digna para todos.

    • Pedro Murteira diz:

      Caro António,
      Como diz que podemos contar consigo deixe-me perguntar-lhe o que acha deste blog? tem ainda poucos conteúdos, gostaríamos de começar agora um trabalho mais completo e organizado.
      No último encontro em Lisboa conheceram-se algumas pessoas da Graça, em Lisboa, que irão começar uma assembleia popular nesse bairro, mas à qual se podem juntar pessoas de outros bairros. Do mesmo modo, em Benfica tem havido também alguns encontros e nas Caldas da Rainha aqui há algum tempo tb houve algumas pessoas a começar esta iniciativa! De onde é? Teria interesse em juntar-se ao grupo de Lisboa ou criar um na sua zona??

      Cumprimentos,

      Pedro Murteira

      • Sidney Carvalho diz:

        Bom dia Pedro,

        Parece-me que faz parte de uma Assembleia Popular. Gostaria de criar uma em Sintra mas não sei os procedimentos. Pode indicar-me os passos a dar?

        Cumprimentos,

        Sidney Carvalho

  2. António Santos diz:

    Lamento que apenas neste momento tenha visto a sua comunicação, Pedro.
    Em resposta, quero dizer que iniciar algo sempre é possível, mas eu trabalho aos fins de semana e também por vezes aos dias de semana dependendo da escala que apenas sei 8 dias antes. Mas poderei participar convosco em que se agenda uma reunião com 4 ou 5 dias antes.
    Neste momento sou residente em Óbidos, mas no próximo trimestre irei residir na margem sul do Tejo. Logo se for possível terem a minha opinião e que seja útil, poderemos sempre encontrar-nos em assembleia popular, se eu estiver de folga ou então através do meu e-mail: antoniosantos-pt@sapo.pt
    Disponha por qualquer razão que seja.
    Cumprimentos

  3. Jolupa diz:

    Boa indignação,
    Pois é…o que está mal não é só isso. O que está mal é o sistema em que vivemos há anos. O despotismo, o socialismo, o leberalismo, o comunismo estão caducos, Só servem grupos.
    A situação actual no mundo deriva de um EQUIVOCO. Este EQUIVOCO é uma equação matemática : O ERRO DE MARX + O ERRO DE KEYNES = AO EQUIVOCO.
    Tem é de se resolver esta equação. Há candidatos?
    Se vos interessar posso ajudar à resolução.

    Jolupa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s